24.5.07

/O post não é novo (é de 2005), mas como esta época do ano é propícia ao "encontro" com crias e temos recebido muitos e-mails com questões relacionadas com o tema decidimos republicar.

 

 

 

****

NOTA PRÉVIA:

Os animais silvestres NÃO SÃO animais de estimação.

Se encontrar um pássaro de qualquer espécie deverá levá-lo até ao centro de recuperação mais próximo para que possa ser devidamente alimentado e recuperado, mais tarde, devolvido à natureza (para ver a lista de centros de recuperação de animais selvagens em Portugal clique aqui - ficheiro PDF).

Porém, como nem sempre é possível ir de imediato e algumas pessoas vivem longe este post serve apenas de SOS para essas situações.

 

 

 

Assim que chega a Primavera a probabilidade de encontrar um passarinho bebé é elevada. O ano passado, publiquei um post sobre criação de pardais à mão. Mais tarde, algumas linhas sobre como aquecer um pássaro bebé.  Desde então - e apenas porque em português não há quase nada sobre criação à mão de pássaros silvestres - tenho recebido n pedidos de ajuda e de orientação.

 

 

 

 

Para começar, não sou veterinária, mas resolvi escrever novamente sobre o tema (caso venha em busca de informação, este post não substitui a leitura dos outros três). Até agora, criei à mão pardais (já perdi a conta), pintassilgos, verdilhões, serinos (=chamariz), rouxinóis bravos, melros, toutinegras-de-barrete-preto, andorinhas e andorinhões e uso sempre tácticas semelhantes, embora adaptadas a cada espécie. Como já disse noutro post, a probabilidade de salvar o pássaro não é muito elevada, mas é possível. 

 

 

 

PRIMEIROS CUIDADOS:

 

Ao encontrar um pássaro bebé, verifique se não existe um ninho próximo e/ou se os pais estão nas redondezas. Se existir ninho e ele for muito pequeno coloque o pássaro lá dentro. Se os pais estiverem próximos e atentos, deixo-o ficar. O mais certo que ele tenha caído ao tentar aprender a voar, mas os pais darão conta do recado.

 

 

Se nenhuma destas situações se verificar, leve o passarinho consigo, mas tenha a consciência que assume um compromisso árduo que exige tempo, paciência e disponibilidade durante vários dias ou semanas. Porém, o mais indicado é dirigir-se a um centro de recuperação de animais silvestres onde existem pessoas com mais conhecimentos e experiência na matéria. Lembre-se que é uma vida que está em jogo.

 

 

 

INSTALAÇÃO:

 

Se o pássaro ainda for muito bebé como o pintassilgo da foto (isso vê-se se ele não tiver penas, se tiver ainda muita penugem e/ou as comissuras (=os cantinhos do bico) muito amarelas e moles), ainda é cedo para o colocar pura e simplesmente numa gaiola, esperando que ele se segure nos poleiros.

 

 

 

 

 

 

É necessário improvisar uma espécie de ninho, num espaço que lhe permita explorar o que o rodeia.

 

 

Pode colocar-se uma caixa das cotonetes no fundo da gaiola e forrá-la, por exemplo, com papel higiénico ou um pano macio SEM FIOS (para evitar que ele se enrole nos fios e se asfixie). Ou usar uma pantufa velha, sem pêlos. Convém que o pássaro se sinta seguro e agasalhado (mais agasalhado do que na foto. O "ninho improvisado" ainda não estava pronto ).

 

 

 

 

 

É preciso que fique num sítio com alguma luz, sem barulho, que não seja de passagem, sem correntes de ar e onde um cão e/ou um gato não o consigam apanhar. Em suma, que fique o mais sossegado possível, de modo a que os seus longos períodos de repouso sejam respeitados; A propósito, nunca é demais lembrar que não convém estar sempre a pegar no pássaro e a mexer nele. Para além de ser incómodo para o pássaro, causa-lhe stress e angústia levando-o à morte. Sempre que tratar dele faça-o com calma e fale baixo e delicamente.

 

 

Apesar de na Primavera/Verão estar geralmente calor, é fácil um pássaro bebé entrar em hipotermia. Convém arranjar uma forma de o manter quente permanentemente, seja pondo um saco de água quente por baixo da gaiola, ou colocando-o enrolado num pano dentro de um prato em cima de um tacho com água quente ou comprando uma lâmpada própria para o efeito. Mais pormenores sobre como aquecer uma pássaro aqui.

 

 

ADMINISTRAÇÃO DA COMIDA NOS PRIMEIROS DIAS:

 

Os pássaros bebés devem comer sempre uma papa especial para aves recém-nascidas de pequeno porte. Há quem improvise em casa, mas as de compra são mais equilibradas;

Sem querer fazer publicidade de borla, eu sugiro Baby Papex ou Avi Baby porque os pássaros parecem gostar dos seus sabores, são bem toleradas e não provocam diarreias (vendem-se nas lojas de animais). É claro que podem comprar de outra marca, desde que seja para criação à mão.

 

 

A esta papa especial deve juntar-se uns pózinhos de papa insectívora. Esta deverá ser sempre um complemento e nunca a base da alimentação (para dicas sobre como alimentar aves insectívoras bebés, tais como andorinhas, andorinhões e melros vide este link com outros outros posts sobre o assunto).

 

A cria não deve ser alimentada com papas ou vitaminas para  pássaros adultos porque o seu sistema digestivo não está ainda preparado para uma comida tão "forte". Muito dificilmente o pássaro sobreviverá se comer apenas pão molhado, cerealac e outras coisas do género.

 

 

A papa costuma vir em pó e, por conseguinte, é necessário juntar água. Ficar mais espessa ou mais rala é uma opção que se toma tendo em conta a espécie do pássaro, a sua idade e a forma como come (se tem apetite, se rejeita a comida, se se engasga com facilidade, etc);

É natural que, inicialmente, o pássaro não queira comer. Deixo-o estar sossegado durante um bocado até que ele esteja calmo e mais confiante.

 

 

Depois encoste a comida ao bico de forma que ele sinta o sabor. E espere que ele abra o bico. Caso não o faça voluntariamente, force LIGEIRAMENTE. O mais natural é que alguns minutos depois já esteja a comer com gosto. No entanto, se estiver muito fraco e/ou doente precisará de mais calma e tempo para o fazer comer.

 

 

 

 

É importante que os pássaros bebés comam com muita frequência, tal como o fariam na Natureza. O ideal era comerem de 30 em 30 minutos, mas bem sei que isso é complicado para quem trabalha. No entanto, nunca deve ficar mais de uma hora sem comer (excepto de noite, claro!).

 

 

Quando alimentados pelos pais, eles comem pouco, mas muitas vezes. Quando alimentados por nós, eles comem demasiado e menos vezes. Há a tendência para o papo dilatar exageradamente (como se vê na foto) e isso não é bom. À medida que se vai conhecendo o pássaro, há que ajustar a quantidade de comida a administrar de cada vez.

 

 

 

 

Por outro lado, os pássaros bebés tem tendência a engasgar-se com alguma facilidade. Use uma seringa pequena ou um pauzinho de plástico próprio para mexer o café e vá dando comida aos poucos e MUITO devagar, mesmo que ele peça com muita sofreguidão.

 

 

 

 

Não esquecer de dar água ao pássaro com uma cotonete embebida (preferencialmente) ou uma seringa pequena (se for um pássaro de maior porte). Apesar da papa ter água, com o calor é fácil ele desidratar. Duas ou três gotas de cada vez são suficientes. Para além de saciarem a sede, servem também para desobstruir o bico.

 

 

 

No fim da refeição, molhe os dedos e limpe o bico para evitar que ele "cole" e crie feridas junto aos cantinhos. Em vez dos dedos, pode usar uma cotonete embebida em água.

OS DIAS SEGUINTES:

 

Assim que o pássaro estiver estabilizado e habituado à sua nova alimentação, é importante introduzir outros alimentos na dieta tais como: maçã em tiras bem fininhas ou bocadinhos de pão (como se fosse sobremesa. Não deve ser o "prato principal" por causa das diarreias).

Se o pássaro já voar bem e estiver "esperto", coloque uns comedouros com papa, maçã e sementes indicadas para a sua espécie para ele ir aprendendo a comer sozinho. Não se esqueça do bebedouro.

 

Como ainda é bebé não espere que comece logo a comer sozinho. Ao princípio, estraga mais do que come ou então nem liga. Não desespere e nunca tire a comida. Se possível, incentive-o colocando um semente na ponta do bico e esperando que ele a tente descascar;

Se for possível, e tiver outras aves, coloque-o de forma a que ele possa ver outros pássaros a comer. Ele acabará por imitar. Atenção, nunca junte um bebé a outros pássaros que não estejam a fazer criação. A probabilidade de o atacarem e matarem é elevada.

 

 

Finda esta missão o passarinho deverá ser libertado e devolvido à Natureza. Durante este processo evite ao máximo estar muito tempo em contacto com o pássaro para que não suceda o fenómeno de "impregnação", ou seja, para que o pássaro não perca a sua identidade, não fique domesticado e mantenha-se independente e autónomo.

Dessa forma, o instinto deles fica menos apurado e podem não procurar comida nem abrigo de noite e, sendo assim, a sobrevivência é muito complicada. 

 

 

 

 

Mais sobre este assunto:

Criação de pardais à mão

Como aquecer um pássaro bebé

Como criar andorinhas

link do postPor *, às 15:52 

De confissoesdeumasurda a 27 de Maio de 2007 às 15:50
Olá formiguinha!!

Tenho colocado no fórum dos animais, o teu link (mais propriamente sobre "como cuidar um pardal", pois as pessoas têm encontrado pardais bebés abandonados.

Bem, tens sido uma grande ajuda!!

De Badá a 30 de Maio de 2007 às 12:55
O pardalzinho que achei na minha varanda não sobreviveu. Estava muito ferido, pelo que acho que foi atacado por pássaros adultos.
Tentei alimentá-lo e tratar das feridas, mas apesar de cooperar, ele ficava me encarando e recusava o alimento.
Fiquei muito infeliz, mas acho que foi melhor, porque talvez jamais viesse a voar e mal conseguia parar em pé, devido aos machucados.
Tomara que não torne a acontecer, mas da próxima vez pretendo me esforçar mais.
Amo esses bichinhos.

De Jessica a 21 de Dezembro de 2007 às 14:03
O Pardal que achei na minha varanda ,está cada dia mais esperto e saudável, sua mãe está sempre por perto, o alimentando!Estou muito feliz e espero que ele sobreviva e voe!

De Luana a 4 de Outubro de 2008 às 01:58
Ajude-me avchei um filhote de passaro cego, o que faço, se alguém souber oq fazer responda por e-mail. Me ajudem s.os.

De Silvana a 30 de Abril de 2008 às 15:05
encontrei um pardal perto de casa...divia ter caido do ninho, procurei mas nao encontrei o ninho do bichinho. tive de trazer ele para casa. Nao sei muito bem o que dar a comer. Mas esforçume ...e ele tem comido tudo o que lhe dou. tenho medu q ele morra

De Sónia a 16 de Junho de 2008 às 15:45
Olá! Andei a pesquisar informações que me pudessem ajudar, e foi assim que encontrei este blog. Encontrei um pardal juvenil na passada 5.ª feira. Ele estava em muito mau estado, apresentava feridas na cabeça e uma pata partida. Apesar de me parecer às portas da morte, tive pena do pardaleco e levei-o para casa para que peo menos pudesse partir sossegado. Dei-lhe uma papa feita com uma mistura de germén de trigo e vitaminas para pássaros e água. Pu-lo num cestinho aconchegado com um pano e forrado com papel de cozinha e deixei-o sossegado num cantinho. Ele mal se mexia. Nunca pensei q passasse daquela noite. Mas, contra as minha expectativas ele tem sobrevivido. Desinfecto-lhe a pata com o osso de fora todos os dias. Não sei quanto poderá durar um passarinho nestas condições, mas o facto é que ele está cada dia mais forte e esperto, e hoje de manhã para meu espanto, estava empoleirado na beira do cesto todo pimpão! Mesmo com uma das patas ao "pendurão" ele lá se está a safar! Aconselharam-me a não "cortar" a pata e que ela deverá acabar por cair sózinha. Não sei por quanto tempo vou ter a companhia do pardaleco, mas vou fazer o meu melhor para que seja o maior possível. Se alguém tiver algum conselho para me dar eu agradeço. Sónia

De isabel a 20 de Abril de 2009 às 22:32
Encontrei um pardal bebe no jardim. Tem penas, consegue andar e as vezes tenta voar. Não encontrei os seus pais e tenho medo que ele morra porque quando lhe dou comida ele não abre a boca. Ja lhe tentei abrir a boca mas ele não colabora nada e eu tenho medo de o magoar. já está sem comer a 12 horas.
O que faço?

De F. a 20 de Abril de 2009 às 22:34
Entregue o animal no centro de recuperação mais próximo de si: Aqui ficam os contactos: http://formiguinhaatomica3.no.sapo.pt/CentrosdeRecupera%E7%E3o.pdf

De Carla a 25 de Abril de 2009 às 19:46
Hoje encontrámos um pardal bebe no nosso jardim, apesar dos nossos esforços não conseguimos encontrar um ninho de onde ele pudesse ter caído. Tem duas feridas na cabeça que pensamos ser de um gato que talvez o tenha trazido para ali e largado. Estava gelado...Como lá em casa a paixão pelos bichos é mais do que muita, não fomos capazes de o deixar na relva indefeso a morrer. Levámo-lo para casa e colocámo-lo numa caixinha forrada em cima da tampa da lâmpada do aquário que se mantém acesa e o mantém quentinho. Temos-lhe dado papa de pão e leite, mas apesar dos esforços não sabemos se vai sobreviver pois tem muita dificuldade em engolir e achamos que não deve sequer ter uma semana de vida pois não tem nenhuma pena a não ser nas extremidades das asas e do rabito e os olhos estão ainda fechados. O problema é que durante o fim-de-semana conseguimos tratar dele pois estamos em casa mas durante a semana vamos trabalhar e saímos de manhã cedo e só regressamos à noite. Mesmo que sobreviva estes dois dias, não sabemos o que fazer com ele durante a semana.

De Angela a 9 de Junho de 2009 às 12:33
Ola.

eu encontrei um passarinho fora de casa e agora queria perguntar se o posso colocar num ninho que não é o dele, porque tenho dois na varanda.

espero resposta.
obrigado

De * a 10 de Junho de 2009 às 00:15
Embora não saiba a que espécies de refere, por princípio não me parece uma boa solução e o final pode ser trágico.

De filipe a 10 de Junho de 2009 às 13:43
ola achei um ovo num ninho mas andava sempre a olhar para ele dentro do ninho e como nunca ninguem aparecia , nenhum pássaro pensei ke tivessem morrido ou tivessem sido comidos agora nao sei se é pardal, pombo ou outro tipo de pássaro gostava de saber se eles em pequenos comem minhocas ou por exemplo migalhas de pão
aguardo resposta

De Joana Serpa a 17 de Outubro de 2009 às 10:12
Olá. Tenho um pardal adulto em minha posse. Ele tava a voar e simplesmente caiu aos pés da minha mae. Ele parece ter uma pata magoada ou partida. Ainda não lhe consegui dar de comer mas pelo menos já bebeu água. Ele tenta voar, mas como não se equilibra, não vai longe e vai contra tudo. Não sei o que fazer. No que toca a animais sou muito sensivel e quero mesmo muito ajudar este pequena. Será que alguém me pode ajudar? é urgente..

De F. a 18 de Outubro de 2009 às 03:48
O melhor a fazer é obviamente dirigir-se até ao centro de recuperação mais perto de si ou, em alternativa, a um veterinário especialista em aves.


 
Siga-nos no Facebook
online
C@ntact@
Blog dos Bichos
Local: PORTUGAL
Pet Sitting e Hospedagem

Apoio Domiciliário a Animais de Estimação e Hospedagem
Garantimos cuidados e mimos aos seus amigos de estimação durante a sua ausência.
Pet sitting e dog walking em Oeiras, Amadora, Lisboa, Sintra e Odivelas
Contactos:
petsitting.ms@gmail.com
915 104 261
www.facebook.com/mspetsitting

Alojamentos que aceitam animais

Apartamentos pet friendly (que aceitam cães, gatos,...)
► Apartamento T1 (para 4 pessoas) no Edifício Dunas Park, Manta Rota, a 50 mts da praia e com vista para o mar.
► Apartamento T2 (para seis pessoas), no centro de Vila Nova de Cacela, a 1,7 km da praia.
www.facebook.com/mantarota
Clique na imagem para mais informações

Para venda

Vende-se apartamento T3 (4 assoalhadas) no centro de Olhão.

Mais informações aqui ou pelo  918 477 219

arquivos
RSS
blogs SAPO